top of page

YouTube começará a compartilhar receita de anúncios com criadores de Shorts

O YouTube anunciou que, a partir de 1º de fevereiro, criadores podem começar a gerar receita com anúncios em Shorts. A mudança faz parte de uma atualização do Programa de Parcerias da plataforma, que exigirá que seus participantes assinem novos termos de contrato (independentemente de quererem ou não gerar receita com Shorts).

Até então, criadores de Shorts poderiam receber algum retorno financeiro por meio de Super Chats e integrações de compras, ou através do fundo para criadores. Porém, esse formato não funcionava tão bem (ou, não era muito melhor que o formato de monetização do TikTok). O YouTube, como plataforma, se destaca justamente por compartilhar a receita de anúncios diretamente com os criadores – algo que acontece há anos para vídeos tradicionais e que agora está chegando nos Shorts.

A plataforma explica que está introduzindo um sistema modular para os termos do Programa de Parceiros: todos terão que assinar um acordo básico que determina, por exemplo, o que pode ser postado e como o pagamento funciona. Os criadores participantes terão até 10 de julho de 2023 para aceitar os novos termos. Se não o fizerem, terão sua capacidade de monetização desativada e terão que se inscrever novamente no programa.

Depois do acordo básico assinado, há acordos adicionais para a monetização da “Watch Page” (onde os vídeos em formato tradicional são exibidos) e Shorts, com os quais é possível concordar separadamente. Os termos do Shorts que estarão disponíveis em 01/02 são basicamente o anunciado, dando aos criadores uma parte da receita dos anúncios visualizados entre os vídeos no feed do Shorts. Os termos da página de exibição cobrem praticamente todo o resto: lives, vídeos tradicionais de formato longo no YouTube, YouTube Music ou YouTube Kids.

Vale destacar que o YouTube está revisando os requisitos para ingressar em seu Programa de Parcerias: um dos requisitos costumava ser ter que ter 4.000 horas de exibição pública do conteúdo nos últimos 12 meses, sendo que a partir de outubro de 2022, os Shorts contaram para esse número. Porém, a partir de janeiro de 2023 essa parte do requisito de elegibilidade foi ajustada. Agora, as 4.000 horas precisão ser obtidas sem contar com conteúdo de Shorts, ou obter 10 milhões de visualizações em Shorts públicos nos últimos 90 dias. Ainda assim, também é necessário ter pelo menos 1.000 assinantes para se qualificar.

A plataforma disponibilizou um vídeo sobre os Termos de contrato do novo Programa de Parcerias do YouTube para todos os criadores:


Fonte: The Verge

3 visualizações

Comments


bottom of page