top of page

Vamos falar de naming: Posso usar meu nome como marca?

Não, não pode.

É muito normal empreendedores se sentirem bastante orgulhosos e identificados com a própria empresa. Por causa disso, querem estampar na fachada o seu nome. Só que isso não é bem uma boa ideia.

Outras situações semelhantes é quando o empreendedor quer homenagear alguém da família. “Minha sapataria vai ter o nome do meu pai”. Ou então homenagear o marido ou a esposa ao nomear “Pastelaria Minha Sopinha de Abóbora”. Há quem vá ainda mais longe e coloque o nome dos próprios animais de estimação na empresa.

Todas essas possibilidades são péssimas ideias de forma geral. Não que não possa haver exceções em que elas sejam boas, mas são bem raras. E o motivo é bem simples: o nome da tua empresa não é para ti, é para o cliente. É uma ferramenta de marketing.

Quando se dá o nome para uma marca, a identificação primária deve ser causada no público. Se identificar com o nome da própria empresa é ótimo, agrega muito. Porém, não dá para esquecer que tu estás nomeando tua empresa, não o teu filho.

Dessa forma, colocar o teu nome na empresa se torna uma má ideia. As pessoas não te conhecem, não fazem a mínima ideia de quem tu sejas e “Padaria do José” é apenas um aviso de quem é o dono. Porque causar curiosidade, distinção e cativar o público não rola. E desperdiçar a chance de um bom nome pode ser prejudicial.

Há exceções em que usar o próprio nome na empresa pode realmente fazer a diferença para chamar a atenção. É o caso, por exemplo, de estilistas famosos lançarem marcas de roupas com o próprio nome. A assinatura deles possui grande valor, então são nomes com que o público geral se importa.

O ônus nesse caso fica apenas para quem assinar a marca. Uma vez que a ideia é que a empresa faça sucesso, cresça, venda bem, em algum momento ela se tornará uma corporação. Aí, pode ser que aconteça como a situação da Halston.

A marca de roupas cresceu, expandiu, recebeu investidores. Agora é uma corporação. O problema? Vem agora. O estilista quis sair da empresa, mas o nome dele… ficou por lá. Como ele vai assinar novas coleções se o nome dele agora é uma marca e não está em posse dele?

Assim, mantenha em mente a ideia. O nome da tua empresa é a possibilidade de ter um instrumento de marca poderoso. Bons nomes de marca são publicidade por si só, porque provocam curiosidade e trazem o cliente até ti.

O teu nome próprio pode ir no cartão. O nome da marca, faça com atenção e estratégia. Não te preocupes, no entanto, se não souberes fazer.

Como prometido, eu, o Autor Atômico, trarei os segredos de como a Nitrogênio cria nomes incríveis que propulsionam seus clientes para atravessar o Universo.

Até lá, vocês podem tirar dúvidas nos comentários ou por DM no Instagram, que vocês podem acessar nestas outras dicas de como não criar o teu nome de empresa:


Obrigado e até a próxima!

2 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comentarios


bottom of page