top of page

Twitter passa a limitar o acesso aos tweets

Agora, quem não tiver uma conta no Twitter não poderá ler nenhuma postagem – e será necessário pagar para ver mais de 600 tweets por dia.

Elon Musk anunciou limitações de sua rede social um dia depois que o Twitter repentinamente começou a bloquear o acesso para qualquer um que não estivesse conectado – o que Musk afirmou ser necessário porque “Várias centenas de organizações (talvez mais) estavam extraindo dados do Twitter de forma extremamente agressiva, a ponto de afetar o real experiência de usuário”.

Então, além de quem não tem conta, não ter acesso ao que é postado na rede social, as contas não verificadas poderão ver apenas 600 postagens por dia. Contas “novas” não verificadas terão acesso a apenas 300 por dia. No entanto, contas verificadas também estão sendo limitadas, mas a um máximo de 6.000 posts por dia.

To address extreme levels of data scraping & system manipulation, we’ve applied the following temporary limits: – Verified accounts are limited to reading 6000 posts/day – Unverified accounts to 600 posts/day – New unverified accounts to 300/day — Elon Musk (@elonmusk) July 1, 2023

Para lidar com níveis extremos de extração de dados e manipulação do sistema, aplicamos os seguintes limites temporários: – As contas verificadas estão limitadas à leitura de 6.000 postagens/dia – Contas não verificadas para 600 postagens/dia – Novas contas não verificadas para 300/dia

Pouco depois, Musk twittou que “em breve” os limites aumentarão para 8.000 tweets para usuários verificados, 800 para não verificados e 400 para novas contas não verificadas.

 

Para além da indignação dos usuários, que tomou conta do Twitter e das outras redes sociais, o The Verge fez uma análise interessante, lembrando a importância da receita de publicidade para o negócio da plataforma, e que “limitar o acesso ao site vai diretamente contra o objetivo de criar oportunidades para ver os espaços publicitários pelos quais as empresas estão pagando”.

Além disso, a Platformer também relatou mês passado que a conta do Google Cloud do Twitter não foi paga por meses até muito recentemente, refletindo um “plano de cortes profundos” que a Reuters havia relatado anteriormente que buscava cortar milhões de dólares por dia em gastos com custos de infraestrutura.

E isso tudo faz lembrar dos cortes de funcionários, claro. Em novembro, um engenheiro do Twitter disse que, após as reduções de pessoal, “as coisas vão quebrar com mais frequência […] Eles serão pequenos aborrecimentos para começar, mas como as correções de back-end estão sendo adiadas, as coisas vão se acumular até que as pessoas acabem desistindo”. Outro engenheiro disse: “Espero começar a ver problemas significativos voltados para o público com a tecnologia dentro de seis meses”.

Fonte: The Verge

4 visualizações

Comments


bottom of page