top of page

Nutrição digital: entenda o que é e como incorporá-la nas estratégias de marketing

A nutrição digital deve fazer parte de todas as estratégias de marketing. Confira nossas dicas para profissionais neste post.

O conceito de nutrição digital está revolucionando a forma que os profissionais de marketing trabalham com a produção e encaminhamento de conteúdo para os seus leads.

Isso se dá porque a teoria requer que todo o conteúdo criado seja relevante e tenha alta qualidade, eliminando totalmente aqueles que não contam com um objetivo bem traçado ou uma boa elaboração.

Dentro de uma vida virtual tão intensa como a nossa, é mais que necessário fazer entregas de valor, que realmente impactem quem está do outro lado da tela e o ajude a seguir na sua jornada.

Para isso, alguns cuidados são necessários. Continue lendo para saber mais e entenda o que é a nutrição digital e sua relação com o inbound marketing.

Entenda o que é nutrição digital

Quando falamos sobre nutrição, o primeiro pensamento que vem em mente é comida, certo?

E todo mundo sabe que ao invés de comer muito, devemos focar naqueles alimentos que são mais nutritivos que trazem diversos benefícios para a nossa saúde e nosso bem-estar.

Isso quer dizer que ao invés de comer muitas calorias sem quase nenhum nutriente, devemos optar por alimentos que são mais ricos em vitaminas, por exemplo.

Esse mesmo pensamento vale quando falamos sobre inbound.

Ao invés de enviar diversos conteúdos em vários formatos para impactar o lead de qualquer forma, recomenda-se selecionar vídeos, posts e notícias que realmente são relevantes.

Essa prática está diretamente ligada com a saúde mental dos leads, assim como com o sucesso de uma estratégia de marketing.

Afinal, quem nunca solicitou para parar de receber conteúdos por e-mail depois de ver a caixa de entrada cheia de conteúdos que não são relevantes? Ou parou de seguir uma marca por ela postar demais? Assim como você faz isso, os seus leads também fazem.

Por que a qualidade dos conteúdos se tornou uma preocupação?

Segundo Bernard Marr, futurista e influenciador digital, a cada minuto que passa mais de 4 milhões de vídeos são assistidos no YouTube, mais de 456 mil tweets são enviados e mais de 46 mil fotos são postadas no Instagram.

Além disso, em apenas um dia, mais de 300 milhões de fotos são enviadas pelo Facebook, e mais de 510 mil comentários são feitos nessa rede social.

E claro que não acaba aí. A cada minuto, mais de 16 milhões de mensagens e 156 milhões de e-mails são enviados no mundo.

Tudo isso mostra como estamos vivendo em uma bolha de informações que não param de chegar em todos os canais digitais possíveis.

Por um lado, temos acesso a tudo que procuramos. Já por outro, há o excesso de conteúdo que impacta a nossa saúde mental.

Como consequência, cada vez mais pessoas estão tentando “fugir” dessa realidade ou reduzir ao máximo o tempo que ficam na frente de telas. De acordo com o Wall Street Journal, a geração Z está voltando a usar telefones mais antigos para não receber notificações.

E as redes sociais também estão atentas, facilitando o acesso à quantidade de horas gasta em cada canal ou, no caso do TikTok, possibilitando o controle de tempo no app.

Tudo isso fez com que a nutrição digital se tornasse uma grande tendência.

Como a nutrição digital impacta nas estratégias de marketing?

A nutrição digital sugere colocar o lema “menos é mais” em prática, o que pode ser um tanto quanto confuso para alguns profissionais de marketing que estão acostumados a “inundar” seus leads com conteúdos.

Esse conceito, então, exige que as estratégias sejam repensadas para enviar para os contatos apenas o que realmente é relevante para a sua jornada.

Vale ressaltar aqui que isso não quer dizer que necessariamente haverá uma grande distância entre a empresa e os seus leads. O controle de conteúdo, na verdade, evita com que o possível cliente tenha uma má percepção da marca.

Maneiras de aplicar e melhorar a nutrição digital nas suas estratégias de marketing

Aplicar a nutrição digital é um pouco mais fácil do que ter uma dieta totalmente saudável! Veja o passo a passo para isso.

Produza conteúdos relevantes

Deixe para trás a produção de conteúdo apenas para cumprir um cronograma, sem haver um bom planejamento por trás dele.

Pense nas dores do seu lead e entenda profundamente a sua jornada de compra para auxiliá-lo em cada momento.

Não deixe para trás o topo e o meio do funil que contam com temas educativos. Ou seja: nada de ficar falando apenas da empresa e ter conteúdos totalmente comerciais.

Uma boa ideia é criar conteúdos que sejam segmentados para que eles tenham ainda mais relevância. Em uma estratégia de blog, por exemplo, você pode aproveitar o título do post para direcionar o conteúdo. Já nas redes sociais, utilizar imagens demonstrativas.

Um exemplo pode ajudar você a entender melhor essa orientação. Vamos supor que você trabalhe para uma empresa que vende produtos naturais. É possível criar conteúdos educativos como:

  1. 5 alimentos para quem quer perder peso,

  2. como montar uma dieta proteica,

  3. melhores alimentos para quem tem deficiência de vitamina C,

  4. receitas com produtos específicos.

Nesses casos, o próprio leitor, ao ver o conteúdo, já sabe se ele é útil para ele ou não, economizando tempo.

E caso tenha uma estratégia de e-mail marketing, é importante haver a segmentação dos leads e dos conteúdos para garantir uma entrega mais relevante.

Transmita os valores da marca nos conteúdos

Como você não terá tantas oportunidades para se comunicar com o cliente, é preciso transmitir os valores da marca sempre que possível.

Mas cuidado: isso não quer dizer que você sempre precisa fazer um textão ou, no caso de podcasts ou vídeo, um comentário gigante sobre a empresa!

Por transmitir os valores, queremos dizer para frisar aquilo que diferencia a marca das outras e sua personalidade.

Você não vê um texto da Nubank, por exemplo, carregado de termos pesados e difíceis de entender. Isso porque a empresa busca simplificar tudo do mundo financeiro.

Entenda como o seu cliente deseja se posicionar e quais são os seus valores para trazer isso nos conteúdos criados para nutrição digital.

Fure a bolha do algoritmo

Já pensou todas as suas refeições serem exatamente com o mesmo alimento, sem nem variação de tempero? Não parece uma boa ideia, não é?!

Mas, quando falamos sobre marketing, muitos profissionais contam com seus formatos favoritos e esquecem totalmente de todas as outras opções disponíveis.

Por mais que todos tenham os seus favoritos (o que é totalmente normal!), precisamos abrir a nossa mente e entender que nem sempre as nossas preferências refletem as dos consumidores.

Atualmente, temos diversas opções que podem ser utilizadas, como:

  1. podcasts,

  2. vídeos,

  3. infográfico,

  4. webinários,

  5. ebooks,

  6. materiais interativos,

  7. jogos.

E quando falamos apenas sobre as redes sociais, há reels, carrosséis, vídeos e fotos.

O importante é entender quem é o público que se deseja impactar e explorar as opções disponíveis para analisar o que funciona e que não traz tantos resultados.

Essa mesma dica vale para os assuntos escolhidos, que podem sempre ter o mesmo formato ou ideia por trás. Inove, busque criar conteúdos exclusivos e veja a grande diferença que isso fará.

E aí, gostou de saber mais sobre nutrição digital? Então, continue no nosso blog e leia Conheça as melhores técnicas de brainstorming para agências.

38 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page