top of page

Jornada do herói: por que essa estratégia é tão eficaz?

Você já ouviu falar na jornada do herói? Entenda melhor o que ela significa e qual a relação desse conceito com o marketing!

A jornada do herói é um conceito muito conhecido quando o assunto é contar histórias e construir narrativas, mas também pode ser bem útil quando falamos de criar estratégias de marketing.

Afinal, quem atua nessa área conhece a importância de habilidades como a criatividade e a imaginação, que entram em cena para construir ações inovadoras, capazes de atingir resultados visíveis na prática.

E, para usar essas habilidades de forma estratégica, nada melhor que conhecer um pouco mais desse conceito que traz um olhar diferente e mais atento para o percurso traçado pelo público ao entrar em contato com uma marca.

Quer saber mais sobre o que é a jornada do herói e como ela pode ser aplicada ao marketing? É só continuar a leitura!

O que é a jornada do herói e como ela surgiu?

As narrativas fazem parte da história da humanidade, desde períodos muito distantes, como a antiguidade, até as séries que assistimos na Netflix hoje em dia.

É contando histórias que o ser humano se permite pensar em outros mundos, imaginar outras realidades e, em muitos casos, se projetar em um outro cenário.

Em 1949, Joseph Campbell publicou “O Herói de Mil Faces”, um livro no qual o autor mapeou os principais pontos comuns entre as grandes histórias criadas pelo ser humano.

Assim, o autor traçava o que ficou conhecido como “a jornada do herói”.

Campbell identificou que, desde os eventos narrados na mitologia grega até os livros escritos na modernidade, os personagens centrais das narrativas trilhavam um caminho muito parecido.

Mesmo que estivessem em contextos diferentes, em épocas distintas ou mesmo em mundos fantasiosos, os protagonistas se encontravam em uma espécie de ciclo, que fazia com que o percurso narrado se tornasse mais instigante para o público.

Desde então, muitas produções aclamadas continuaram seguindo essa fórmula, que se mostrou bem útil na hora de criar enredos que conquistam a atenção das pessoas.

Star Wars, Matrix, Senhor dos Anéis e até mesmo A Pequena Sereia são algumas narrativas em que a jornada do herói pode ser identificada de forma bem clara.

Vale lembrar, ainda, que o conceito criado por Campbell teve repercussões em muitas áreas e inspirou o trabalho de autores de diversos ramos.

Em 2015, Christopher Vogler publicou o livro “A Jornada do Escritor”, em que adapta o trabalho de Campbell ao processo criativo da escrita, trazendo reflexões que ajudam desde os escritores literários até os redatores de copywriting a escreverem de forma mais consciente.

Conheça as 12 etapas que estruturam essa estratégia

Uma das repercussões da jornada do herói foi a sua chegada no marketing, que abriu possibilidades para estratégias muito bem estruturadas.

A aplicação desse conceito permite tanto entender melhor o percurso pelo qual o público passa ao entrar em contato com uma marca quanto produzir conteúdos que gerem identificação e, consequentemente, tenham mais impacto sobre as pessoas.

Mas, para entender melhor como isso tudo funciona na prática, é preciso conhecer a fundo essa jornada. Confira as etapas que fazem parte dessa saga:

Mundo comum

Todo o caminho a ser trilhado pelo herói começa no mundo comum, ou seja, no momento anterior ao início dos eventos que darão vida à narrativa.

Esse é o momento em que o personagem é introduzido, para que o público conheça a sua realidade, o local de onde vem, como é a sua vida e quais são os seus dilemas.

Para ver isso em prática, basta pensar em qualquer um desses clássicos filmes de aventura, como Senhor dos Anéis ou Star Wars, e em como iniciamos a narrativa vendo o protagonista em situações pacatas e até mesmo mais cotidianas, que servem para introduzi-lo ao público.

Chamado à aventura

É aqui que a trama tem início.

O chamado à aventura costuma ser algum tipo de reviravolta ou desafio, que faz com que o protagonista perceba um novo caminho à sua frente. 

Esse é, portanto, um gancho muito importante, porque representa uma quebra com o momento de calmaria do início da narrativa. 

Ou seja, esse é um ponto crucial para chamar a atenção do público e instigar as pessoas a acompanharem a jornada que está começando.

Um tipo de situação que pode ajudar a visualizar essa etapa é aquele momento clássico dos filmes de super-herói, em que o protagonista finalmente se dá conta de que tem poderes. Diante dessa novidade, ele tem novas escolhas a serem feitas.

Recusa do chamado

Em resposta ao chamado à aventura, é bem comum que exista a recusa.

Afinal, apesar de as histórias de aventura criarem mundos diferentes e criativos, elas ainda são protagonizadas por personagens com quem o público deve conseguir se identificar.

Descobrir que você tem poderes incríveis pode até ser algo bem divertido, mas essas narrativas costumam envolver conflitos também e ficar sabendo que você precisa salvar o mundo ou derrotar um supervilão pode não ser tão legal assim.

Por isso, essa recusa costuma ser motivada por sentimentos como o medo e a insegurança, que fazem parte da experiência humana e, por isso, ajudam a humanizar o protagonista, ou seja, fazer com que as pessoas lendo ou assistindo a trama consigam se identificar com ele.

Encontro com o mentor

Ainda que a recusa seja um momento importante para gerar esse sentimento de identificação, não podemos parar por aí. Afinal, como dar continuidade à história depois dessa etapa?

Para resolver esse dilema, entra em cena a figura do mentor. Nas histórias mais clássicas, ele costuma ser um personagem mais velho e sábio, que tem mais propriedade para aconselhar o personagem e dizer qual caminho ele deve seguir.

Afinal, o que seria de Luke Skywalker sem Obi-Wan, ou do Homem-Aranha sem o famoso “com grandes poderes, vêm grandes responsabilidades”? Assim, esse é um elemento bem importante para que a narrativa comece a fluir.

Travessia do primeiro limiar

Essa travessia que marca a quinta etapa da jornada do herói não precisa ser, necessariamente, de um lugar físico.

A ideia é que, nesse momento, o protagonista finalmente entra de cabeça nesse caminho que escolheu seguir, o que significa que estará finalmente assumindo o seu papel na trama.

Isso pode ser representado pela descoberta de um segredo importante ou até mesmo pela passagem por um treinamento, para adquirir as habilidades necessárias ao longo da sua aventura.

É aqui que o personagem comum começa a se transformar, efetivamente, no herói dessa história.

Testes, aliados e inimigos

A jornada do herói é protagonizada por esse personagem, mas também conta com outros, que ajudam a dar mais vida e emoção para a narrativa.

É por meio desses personagens que o acompanham que surgem grande parte dos eventos que constroem a história, já que alguns deles vão se tornar aliados, enquanto outros se revelarão grandes inimigos.

A partir dessas relações, partes do percurso podem ficar mais fáceis, com a ajuda de amigos, enquanto outras podem se tornar bem complicadas, por conta da interferência de antagonistas.

Esses movimentos são importantes e ajudam a tornar a narrativa mais cativante, além de sempre encontrarem uma solução no decorrer da trama.

Aproximação da caverna secreta

A aproximação da caverna secreta funciona como uma espécie de metáfora e se refere a um momento muito importante da jornada do herói.

Nessa etapa, existe um conflito a ser enfrentado, o que faz com que o protagonista se volte mais uma vez para as questões que enfrentou no início do percurso.

Ou seja, medos, inseguranças e questionamentos aparecem novamente, impulsionados pelo momento difícil que o personagem enfrenta. 

Além de fazer com que o herói pareça mais real e humano, esse também é um estágio em que começa a se formar uma certa tensão para a chegada do clímax da narrativa, que é um momento específico da história, mas vai se construindo pouco a pouco.

Provação

Junto com a etapa anterior, costuma chegar a de provação, ou seja, o ponto em que o protagonista finalmente se prova capaz de ser o herói da história, seja para os outros personagens ou até para ele mesmo.

Isso costuma acontecer a partir de um grande conflito ou batalha, que pode até apresentar dificuldades, mas certamente será vencido pelo protagonista dessa jornada.

Dessa forma, o personagem acaba passando também por uma transformação psicológica, porque agora entende que é capaz de assumir esse lugar de destaque e responsabilidade.

Recompensa

Depois da sua provação, o herói finalmente recebe a tão sonhada recompensa.

Ela pode ser representada por diferentes elementos, de acordo com a história. Em algumas, pode ser o resgate de uma pessoa amada, enquanto em outras pode ser simplesmente a vitória sobre um inimigo.

O ponto mais importante dessa etapa da jornada do herói é que se estabelece um clima de normalidade, como se agora o protagonista estivesse pronto para retornar à sua vida de antes, para o “mundo comum” do qual saiu no início da narrativa. 

Caminho de volta

Tendo recebido a sua recompensa, é só fazer as malas e voltar para casa!

Nessa etapa, o protagonista começa a contemplar a ideia de retornar para o lugar de onde veio, viver uma certa realidade, agora com todos os conhecimentos que adquiriu ao longo desse percurso.

Ou seja, esse é um momento cheio de idealizações, sonhos, vontades e expectativas. Infelizmente, é também um momento que não dura para sempre, já que uma outra reviravolta chega em seguida para agitar a trama uma última vez.

Ressurreição

Como nem tudo é um mar de rosas na vida do nosso herói, a etapa da ressurreição chega com tudo para bagunçar a vida do protagonista uma última vez.

Esse é o momento, por exemplo, em que o vilão reaparece de forma inesperada ou os personagens da trama descobrem um problema que não foi solucionado.

Também podemos pensar na aplicação desse recurso no caso das séries, que deixam ganchos para serem “ressuscitados” nas próximas temporadas, ou até mesmo nos filmes que possuem sequências.

 Assim, o ponto mais relevante dessa reviravolta é a compreensão de que ainda existe algo a ser solucionado, o que coloca o herói em movimento mais uma vez.

De modo geral, é aqui que os conflitos da trama são realmente solucionados, para que então o protagonista possa retornar à sua vida.

Retorno

Depois dessas longas onze etapas, o herói está finalmente pronto para encerrar a sua jornada.

Esse é um percurso que pode se encerrar de várias maneiras, seja com o retorno à vida normal, que o protagonista possuía antes da aventura, ou mesmo com o início de um novo caminho.

Afinal, a jornada do herói é marcada por muitos aprendizados e transformações, que podem fazer com que o personagem decida encontrar novos rumos.

Nesse sentido, o percurso pode narrar eventos fantásticos e tramas bem marcantes, mas o que realmente estrutura toda essa jornada são os desejos, as dores e as ações tomadas pelo protagonista, o que pode soar bem familiar para quem trabalha com marketing.

Por que a jornada do herói é uma das estratégias mais eficazes no marketing?

Agora você já sabe quais são as etapas que estruturam esse percurso vivido pelo herói, mas, para encerrar essa jornada, que tal entender um pouco melhor a sua relação com o marketing?

Quando falamos das transformações pelas quais o protagonista de uma história passa, estamos falando também dos aspectos que o tornam humano e, assim, fazem com que o público se identifique com a história.

É assim que as grandes tramas da literatura e do cinema ganharam tanta relevância na vida dos espectadores, que passam a se engajar muito mais com um conteúdo quando se conectam com ele.

Assim, a primeira lição que podemos tirar da aplicação desse conceito é a relevância de produzir conteúdos que gerem identificação com o público-alvo da sua estratégia.

E, afinal, como colocar isso em prática? É aí que entra em cena a jornada do herói!

Se você quer criar conteúdos e desenvolver ações de marketing que realmente impactam as pessoas, a sua persona precisa se tornar a protagonista dessa história.

É assim que conseguimos identificar a realidade de onde ela vem, quais são seus medos e anseios, quem são as pessoas que podem gerar influência sobre suas decisões e quais intervenções podem ajudá-la a dar continuidade à sua história com a marca.

Tudo pronto para aplicar esse conceito às suas ações de marketing? Para criar um conteúdo de qualidade e com um bom alcance, confira também o nosso post sobre técnicas de SEO para blog que podem melhorar o ranqueamento!

48 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page