top of page

Facebook anuncia experiências de áudio para os próximos meses

Já se falava disso há um tempo, mas agora o Facebook fez um anúncio oficial. São vários produtos a serem lançados, que enfatizam o conteúdo de voz para grupos, figuras públicas e Messenger. Os lançamentos devem acontecer aos poucos, mas alguns principais já devem acontecer agora no inverno (verão no hemisfério norte).

E um desses produtos principais é chamado de Live Audio Rooms, que tem todas as características de ter sido criado para concorrer com o Clubhouse. Será implementado primeiro para grupos e figuras públicas como um teste, mas depois chega ao Messenger, para que os usuários possam passar tempo com seus amigos. As conversas poderão ser gravadas e distribuídas, e eventualmente as pessoas poderão cobrar pelo acesso a essas salas por meio de uma assinatura ou uma taxa única.

Todas essas conversas também podem ser transformadas em “Soundbites”, um recurso que está prometido para o futuro, que permitirá que sejam criados e compartilhados clipes de áudio curtos – com um algoritmo no feed para promovê-los. Mark Zuckerberg equiparou o Soundbites ao Reels, mas com áudio. Uma ferramenta do próprio Facebook, um “estúdio de som em seu bolso” permitirá que os usuários façam esses pequenos recortes e outras edições.

Como estratégia de monetização para seus espaços de áudio, o Facebook anunciou que irá incluir seu sistema de gorjetas, o Stars, nas salas de áudio ao vivo e para criadores individuais e figuras públicas. Além disso, está criando um Fundo para Criadores de Áudio para “apoiar os criadores de áudio emergentes” – uma forma interessante de atrair pessoas para a nova plataforma.

A empresa prometeu incluir legendas nas experiências de áudio, para torná-las mais acessíveis para quem tem alguma dificuldade de acompanhar o áudio ou mesmo para quem prefere acompanhar sem o som ligado.

O Facebook também tem percebido a relevância dos podcasts, e eles se encaixam nessa nova abordagem focada no áudio que a empresa está tomando. Dados divulgados pela rede social apontam que 170 milhões de pessoas no Facebook estão conectadas a uma página vinculada a um podcast específico, e mais de 35 milhões de pessoas são membros de grupos de fãs em torno de podcasts.

Planejando assumir um papel maior no podcasting, a empresa disse que começará a recomendar programas e episódios com base nos interesses das pessoas e que elas poderão comentar e recomendá-los aos amigos. Além disso, Zuckerberg disse que uma parceria com o Spotify também está por vir, o que trará o player deles para o Facebook, permitindo que as pessoas transmitam músicas e podcasts de seu feed de notícias (ele enfatizou que o recurso é para música, mas isso não impede usuários de compartilhar e ouvir podcasts direto no Facebook). Para tal recurso, será necessário vincular as contas.

O Spotify confirmou a parceria dizendo em comunicado: “Nossa ambição sempre foi tornar o Spotify onipresente em todas as plataformas e dispositivos – levando música e podcasts para mais pessoas – e nossa nova integração com o Facebook é mais um passo nesses esforços […] Estamos ansiosos para uma parceria contínua com o Facebook, alimentando a descoberta de áudio em todo o mundo”.

Ainda existem muitas incertezas quanto ao engajamento do público com as plataformas de áudio, ou se esse engajamento visto no Clubhouse vai perdurar. Fica notória aqui a capacidade que o Facebook tem, como gigante que é, em incorporar e adaptar novas ferramentas em pouco tempo, para lançá-las quando ainda existe um hype (ou antes que outra empresa fique grande o bastante – vai do seu ponto de vista como observador).

Se o formato vai continuar relevante ou não, só o tempo dirá. De uma forma ou de outra, para profissionais de marketing ou influenciadores, uma ampla gama de novas considerações para se conectar com suas comunidades está sendo adicionada.

Fonte: The Verge

2 visualizações

Comments


bottom of page