top of page

Ciclo PDCA: o que é, as vantagens e como aplicar

Com eficiência e versatilidade, o ciclo PDCA se tornou um método bastante utilizado para melhorar processos. Saiba mais sobre ele!

Muito conhecido na área de gestão, o ciclo PDCA pode ser uma ferramenta interessante para melhorar e otimizar os processos da sua agência.

Embora tenha sido criada como um método de gestão de qualidade nas indústrias, essa ferramenta já ganhou muito espaço na vida de profissionais que precisam gerir projetos.

Afinal, o desenvolvimento contínuo é um elemento fundamental na rotina de qualquer agência que queira alcançar resultados melhores, em um ciclo de melhorias que sempre leva ao sucesso.

Quer entender melhor o que é o ciclo PDCA e como você pode aplicá-lo na sua agência? Continue a leitura!

Entenda o que é Ciclo PDCA e as suas etapas

Para entender o que é o ciclo PDCA, é importante começar a conversa tendo em mente que esse é um método voltado para a melhoria contínua de processos, ou seja, trata-se de uma ferramenta que deve ser aplicada repetidamente.

A ideia é que, a partir das quatro etapas que formam essa sigla, os profissionais consigam planejar suas ações, executá-las, verificar seus resultados e agir para aplicar melhorias à estratégia inicial.

Dessa forma, é possível seguir um caminho simples e intuitivo, que permite melhorar seus resultados com agilidade e muita eficiência. Vem ver quais são as etapas do ciclo:

Planejar (Plan)

Tudo começa com um bom planejamento! Por isso, a primeira etapa desse ciclo é diagnosticar o problema a ser resolvido, entendê-lo melhor e planejar suas ações, para dar continuidade à aplicação do método.

Essa é a hora de olhar a fundo para o processo ou projeto que você está tentando melhorar, para identificar qual é, exatamente, seu objetivo ao utilizar essa ferramenta.

Uma equipe desmotivada, um fluxo de trabalho muito lento ou campanhas que não estão apresentando bons resultados são todos problemas que podem ser solucionados a partir do ciclo PDCA.

Assim, lembre-se de identificar precisamente o problema, definir os meios que serão utilizados para solucioná-lo e também estabelecer alguns indicadores para acompanhar os resultados.

Essa é uma boa hora para colocar os KPIs em prática e mensurar o sucesso das suas estratégias.

Executar (Do)

Depois de já ter os detalhes do seu plano de ação estabelecidos, chegou a hora de colocar a mão na massa, ou seja, executar as ações que você elencou na etapa anterior.

É claro que, ao colocá-las em prática, você pode notar a necessidade de fazer algumas mudanças para adequar a estratégia.

No entanto, pode ser interessante seguir o plano que você traçou inicialmente, justamente para que, ao final do ciclo, você possa avaliar a sua eficiência.

Caso seja necessário realizar mudanças muito drásticas, pode ser melhor voltar à etapa anterior e adequar seu planejamento a elas, para que as etapas seguintes funcionem com mais eficácia.

Verificar (Check)

Você já traçou seu plano e aplicou as ações contidas nele. Agora, é hora de verificar quais foram os resultados obtidos a partir desse processo.

É aqui que entram em jogo as métricas e KPIs elencados durante a primeira etapa do ciclo, já que esses são os elementos que ajudam a identificar o sucesso (ou a falta dele) na aplicação de melhorias.

Também é importante lembrar que essas etapas não precisam, necessariamente, acontecer em momentos distintos.

Afinal, nada impede que você comece a acompanhar os resultados assim que iniciar a etapa de execução. 

O ponto essencial é que você não deixe de passar por nenhuma dessas fases do ciclo, já que elas estão interligadas e, sendo assim, cada uma delas é fundamental para o sucesso da outra.

Agir (Act)

Com todas essas informações e resultados em mãos, seu próximo passo é transformar o conhecimento obtido em ações de melhoria no processo ou projeto sobre o qual você está atuando.

Ou seja, se você teve um resultado satisfatório, basta padronizar o processo e aplicá-lo regularmente na agência.

Por outro lado, se algum aspecto deixou a desejar, esse é o momento de identificar quais foram os problemas que geraram essa insatisfação, para então solucioná-los em uma nova rodada de aplicação do ciclo PDCA.

E, assim, você passa a adotar um processo de melhoria contínua.

Quais as vantagens de adotar o PDCA?

Muitos profissionais tentam aplicar métodos que levem à melhoria dos processos, mas nem sempre é fácil mapear as etapas necessárias para isso e lembrar de todas elas ao longo do processo.

Uma das vantagens do ciclo PDCA é que ele é uma metodologia simples, mas muito eficiente, o que significa que você conseguirá seguir todos os passos necessários para aplicá-lo, aproveitando os bons resultados que ele proporciona.

Além disso, essas etapas são definidas de forma que o ciclo possa ser aplicado a diferentes contextos, o que significa que, ao segui-las, você pode encontrar soluções para diversos problemas da agência, utilizando uma metodologia só.

Por fim, vale lembrar que as informações obtidas ao longo desse processo são o que permite a melhoria contínua dos seus processos e projetos, além de darem suporte para uma tomada de decisões mais eficiente e segura, baseada em fatos.

Qual o melhor momento para utilizar o Ciclo PDCA?

Não existe um momento ideal para aplicar esse método, justamente porque ele é extremamente versátil e pode ser aplicado em diferentes contextos.

Assim, ao identificar qualquer tipo de problema, o passo a passo de planejar, executar, verificar e agir continua sendo o percurso ideal para chegar a uma solução.

Você pode sentir necessidade de utilizar essa ferramenta, por exemplo, ao notar que a equipe da agência anda desmotivada e com resultados pouco satisfatórios, ou mesmo ao perceber que precisa melhorar o seu fluxo de trabalho.

Ou seja, eficiência e versatilidade são pontos que fazem com que o ciclo PDCA seja seu maior aliado para solucionar qualquer problema enfrentado no dia a dia da agência.

Maneiras de aplicá-lo nas suas estratégias

Para além de problemas que acontecem no dia a dia de trabalho, o PDCA também pode ter um papel importante na elaboração das suas estratégias de marketing digital.

Digamos, por exemplo, que você esteja criando uma campanha de anúncios pagos para uma marca.

Seguindo as etapas do ciclo, seu primeiro passo seria realizar um planejamento completo, pensando nos objetivos da campanha, seu público-alvo, um cronograma e na criação dos anúncios.

Em seguida, na etapa de execução, seria a hora de veicular essas mídias, para, em seguida, verificar os resultados obtidos por elas e analisar as informações que você coletou durante essa observação.

Por fim, é hora de desenvolver ações de melhoria, que sejam capazes de controlar os problemas identificados na etapa anterior, para ter mais sucesso nas próximas campanhas.

Tudo pronto para aplicar o ciclo PDCA na sua agência? Continue aqui no blog da Agência de Bolso e conheça 7 ferramentas que todo bom vendedor deve conhecer!

5 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page